30 de abr de 2011

Enfim, o casamento real!



Na última sexta-feira aconteceu, enfim, o esperado casamento do século. Eu já havia falando um pouco sobre os preparativos para a cerimônia aqui no blog e hoje quero tecer alguns comentários bem pessoais sobre o casamento dos príncipe William e Kate.



Toda a pompa esperada para o evento se fez. Os convidados em modelitos que misturavam o clássico com pequenos toques de modernidade em alguns cortes, especialmente nos chapéus das ladies. A decoração da igreja com árvores típicas inglesas, o bolo típico da monarquia, com flores representativas do Reino Unido (rosa, narciso, trevo e cardo) feitas em açúcar, as daminhas e pajens estavam uma graça, delicadíssimos... mas... o tema principal, como vcs já devem imaginar, é a noiva!

O vestido, que me fez lembrar bastante o da Grace Kelly, feito com rendas francesa Chantilly e inglesa Cluny, tinha mangas longas, gola alta e decote em V, com a cintura bem marcada, o que ressaltou a boa forma de Kate, e saia de gaze de cetim com um volume interessante mas sem exageros, me agradou bastante.

Já o cabelo e a maquiagem, na minha opinião poderiam ter sido mais caprichados, talvez um modo de prender com um pouco mais de volume no alto tivesse destacado mais o rosto delicado de Kate, que também não valorizou seus olhos com a maquiagem e perdeu um pouco com isso, mas, indiscutivelmente, a postura de Kate estava impecável.

A tiara, cedida pela rainha Elizabeth, segurava um véu em um tamanho intermediário, bem bonito. Os brincos de diamantes em formato de folhas de carvalho foram presente dos pais da noiva e estavam coordenados com a proposta da tiara.

Não pude ver os sapatos da noiva, mas sei que são da mesma grife do vestido, Alexander McQueen e que tinha bordados a mão de flores. O buquê, apesar de toda a representatividade das flores (sweet Willian, que representa o galanteio, jacintos, constância do amor, hera, fidelidade e muguet, casamento) não me agradou no volume, que poderia ter sido um pouco maior, pois o porte de Kate e a ocasião permitiam, não acham?O que me deixou bem satisfeita foi saber que este casamento, apesar de todo o contexto, emanava amor, e isso é sempre o mais importante.

Beijos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário